Trabalho

Tirei curso com mestrado, fiz um estágio de 9meses, comecei outro curso (que não acabei), fiz um estágio profissional de 1ano. Entre processos tive desempregado, tal como estou agora. Encontro-me então mais uma vez a procurar uma solução mas pela primeira vez não sei o que procuro, abro as páginas e simplesmente não sei! Se durante todo este tempo não gostei de ser tratado como Sr.Eng., depois da viagem a África não há volta atrás. Relatórios, apresentações, reuniões, mails, cálculos... frio! Faz-me falta o sentir, tanto nas mãos como no coração! E não quero ser rico, quero ser feliz.
DSC07704
(Foto tirada no Senegal, a ajudar os pescadores locais a retirar as redes de pesca)

Preciso de contacto, preciso de criar, ver os resultados do trabalho, que haja a possibilidade de olhar nos olhos sem barreiras de superioridade, ser brindado com alguns sorrisos... Acho que não vai ser fácil!

18 comentários:

Sara Levy disse...

Eu falo por mim mas quando se vai a África, não se quer voltar. A humildade das pessoas, o toda a gente ser igual, o não terem problemas em te pedir ajuda, o tratar por tu, não olharem para ti por seres gordo ou trazeres muita ou pouca roupa, faz-nos mesmo sentir bem e terrenos. É sem dúvida a terra mãe :)

Bid disse...

Mais tarde irei contar a minha experiência mas fizeste um bom resumo! Em pouco mais de duas semanas conseguimos fazer lá amigos ao ponto que escorreram lágrimas à partida! Ah, e há o toque... acho que é uma coisa importante que cá estamos a perder.

(já agora, se puderes arranja-me o mail do vosso blog. Já lá perguntei duas vezes, mas ficou no meio dos milhentos comentários)

Ana disse...

Gostei daqueles dois tipos a olhar enquanto vecês puxam... :D

Lyn disse...

Espectacular a foto!
E olha, acho bastante importante o que disseste, felicidade acima de tudo...**

cê-agá disse...

andei assim, meio perdida, encontrei-me..achava eu..mas no fundo é um sentimento que se mantém. good luck with that

Sara Levy disse...

Então fico à espera desse post. É um assunto que me interessa imenso e estou curiosa :)
Olha o e-mail é: mchoicesblog@gmail.com :)

Beijinho

Green disse...

Entendo perfeitamente o que dizes, penso assim também, quero sentir-me realizada pessoal e profissionalmente, isso sim seria óptimo.

Bid disse...

Ana: Estavam a olhar apenas por momentos. Estavam no fim da fila e já iam para junto da água começar a puxar novamente, era cíclico! Não penses que estavam a aproveitar-se, trabalharam bem, crianças e tudo, e agradeceram com bastante sentimento a nossa ajuda =)

Lyn: Sim, a felicidade é o que quero levar desta vida =)

cê-agá: Continuas perdida então? Não te sentes feliz com o teu trabalho?

Sara: Estou farto de pedir o cartão, está difícil, mas esta semana terá de ser! Obrigado, já irei mandar o mail! =)

Green: Só assim faz sentido! Passa-se mais tempo a trabalhar do que qualquer outra actividade. Se não somos felizes no trabalho....... Boa sorte pra ti também =)

vanessa disse...

acho terrível e não me conformo.as pessoas estudam e estudam e depois estão no desemprego,enfim!

Ana Torrado disse...

E os sorrisos não têm preço. Aliás, as melhores coisas da vida não são compradas.

Parabéns.

S' disse...

O trabalho é importante - e é - tal como o dinheiro. Mas sentires-te realizado pessoalmente é sem dúvida mais importante, nunca poderás ser feliz só com relatórios, reuniões e cálculos.
Acho importante quereres ser feliz, acho ainda mais importante procurares a felicidade.

cê-agá disse...

gosto do meu trabalho, a empresa onde estou é que não é a ideal. não se pode ter tudo

Bid disse...

Vanessa: É terrível é! Como diz a minha mãe "mais valia teres saído da escola sem o 12º e estares já efectivo com casa, carro e família!

Ana: Disso não tenho dúvidas! =)

S': O dinheiro é importante até certo ponto. Até satisfazer as nossas necessidades básicas. Tudo o que vem depois pode ser substituído com coisas que surgem de graça! Também acho importante, só é chato ainda andar à procura =P

cê-agá: És como aqueles advogados que defendem empresas que atacam os seus princípios? =)

Daniela Gaspar disse...

olá! Não, não é necessário mentir para trabalhar na zara. Apenas te podem perguntar se vês a zara como um trabalho para a vida. ou se és responsável o suficiente para, quando quiseres sair, dares tempo para entrar outra pessoa. (estão sempre a entrar e sair zarianos). O factor primordial é idade e apresentação. Raramente contratam alguém com mais de 26-29 anos. Os estudos até são valorizados. Todos os anos passa a folha para saber se os funcionários já acabaram os cursos ou se se inscreveram. Por norma quem tiver cursos são os mais aclamados para trabalhos de chefia. Um chefe de loja pode ganhar ate uns 2000 euros mensais... um encarregado 1º talvez 1500, um 2 encarregado 900 e um full time noite as vezes 800 e dia perto de 700. (nada mau, não ganho tanto num gabinete.) se tiveres trabalho em Africa para mim diz quelque choose lol , boa sorte

cê-agá disse...

ahah não vamos exagerar. digamos que trabalhar em empresas pequenas tem as suas desvantagens

Bid disse...

Daniela: Nunca me candidatei para este tipo de trabalho mas o que ouvia sempre era que é necessário mentir. Sempre tive essa dúvida e agradeço a tua explicação =)
Nem para mim arranjo quanto mais para os outros! E África já não é o paraíso para trabalhar como era há uns anos! Mas se um dia surgir, não me esquecerei! =) Ah, e o mesmo digo eu, se precisares de um engenheiro geólogo nos gabinetes onde trabalhas já sabes ;)

Cê-agá: As pequenas têm umas desvantagens e as grandes outras! Não há perfeitas! Talvez só a Google pelo que vejo em documentários =P

Joana disse...

Como te percebo!
Já lá fui e voltei outra. A felicidade é o que nos fica, não é a carreira, o dinheiro ou outras coisas superficiais...
Isto para dizer que gostei do blogue e que não és único nessa situação.
Beijinho*

disse...

O contacto com as pessoas, com os olhares, com os sorrisos é o dia-a-dia da minha profissão...a única coisa boa, como eu costumo dizer...a única coisa que consegue dar alento e fazer-nos suportar tudo o resto... Tenho uma vida cheia de vidas, e considero-me uma privilegiada por causa disso... Mas se me sinto realizada na totalidade? Não...ainda não...um dia lá chegarei!
Por isso corre atrás de algo que te faça realmente feliz e que te faça sentir realmente realizado!